Número total de visualizações de página

sábado, 17 de janeiro de 2009

Inquérito à queda de avião no rio Hudson começou hoje

Devem ter visto na televisão, o desastre que aconteceu nos estados unidos.

Podem ver o VIDEO clicando AQUI











Começaram hoje os minuciosos trabalhos de inquérito às causas da queda do avião da US Airways, que ontem amarou no rio Hudson, ao largo de Manhattan, Nova Iorque. Apesar do aparatoso acidente, nenhum dos 155 passageiros ficou ferido, tendo todos sido resgatados em segurança.

A National Transportation Safety Board (NTSB) já enviou para o local uma equipa de cerca de 20 pessoas, a fim de examinarem a carlinga do aparelho, que continuava hoje a flutuar nas águas do Hudson.

Até agora a hipótese apontada como a mais provável para o acidente centra-se na colisão de um bando de pássaros contra o avião, um Airbus A320, que terá causado danos nos motores. Esta informação foi, aliás, confirmada já ontem pela autoridade de aviação civil norte-americana (FAA).

O construtor do aparelho, a Airbus, também já enviou especialistas para Nova Iorque, a fim de ajudarem a apurar as causas do acidente.

A partir do momento em que as caixas negras do avião forem recuperadas, as circunstâncias em que o avião caiu serão mais fáceis de apurar. Os motores do avião serão igualmente analisados à lupa, uma vez retirados das águas.

Os membros da equipa de inquérito irão igualmente falar com o comandante, Chesley Sullenberger III, cujo sangue frio permitiu salvar as vidas de todos os passageiros.

“O talento do piloto da US Airways, a sua determinação e a sua capacidade de pensar com rapidez contribuíram muito para que os passageiros sobrevivessem ao acidente, cujo final poderia ter sido bem diferente”, indicou à AFP um especialista nas questões da aviação, Chris Yates, que acrescentou que os pássaros deverão ter sido aspirados para os dois motores “provocando um acontecimento muito raro, a paragem dos dois motores ao mesmo tempo, num dos momentos mais críticos de qualquer voo: a descolagem”, sublinhou.

O acidente aconteceu logo após a descolagem do aparelho do aeroporto nova-iorquino de La Guardia, com destino a Charlotte, na Carolina do Norte, com 148 passageiros e cinco tripulantes a bordo.

Imagens captadas pelas televisões mostravam dezenas de pessoas, envergando coletes salva-vidas, nas asas do avião, à espera de serem resgatados pelos "ferries" de passageiros, corvetas da guarda-costeira e helicópteros que acorreram de imediato ao local. A baixa temperatura da água (Nova Iorque registava ontem à tarde sete graus negativos) era a principal preocupação das autoridades, mas todos os passageiros saíram ilesos, alguns dos quais – avançavam hoje os media com alguma ironia – sem sequer terem molhado os pés.

in: publico, edição online

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pesquisa personalizada