Número total de visualizações de página

quinta-feira, 27 de março de 2008

Quem quer ser milionário espanhol

O que é o ponto G?

quarta-feira, 26 de março de 2008

rise up versao raggae

90's

Ace Of Base - All That She Wants


Nightcrawlers Push the feeling on


Mr.President Coco Jambo


Mr.President - Up 'n away


Corona - Try me out


Corona - The Rhythm Of The Night

quarta-feira, 12 de março de 2008

Mão Bionica/Bionic hand

que GRANDE obra de arte, ou será ENORME?

Too many happy meals



Image title:
Too many happy meals

Titulos da imagem:
"Happy meals" a mais


comentário:
(Chega?? :P que riso)

UM DIA PERFEITO - Versão Feminina e Masculina

DIA PERFEITO FEMININO:

08:15 - Despertar com abraços e beijos.
08:18 - Fazer amor (sem pressa).
08:50 - Café na cama com pão integral, suco de laranja e outras bobeiras light.
09:15 - A balança indica 2 quilos a menos (mesmo que esteja estragada)
10:30 - Aeróbica no clube, com um treinador bonito e gostoso.
12:00 - Tratamento facial, manicure e cabeleireiro.
15:00 - Compras no shopping com amigas (crédito ilimitado em vários cartões)
18:00 - Receber em casa três dúzias de rosas de um admirador secreto.
19:00 - Aeróbica seguida de deliciosa massagem.
19:30 - Ao chegar na faculdade ter a agradável surpresa de um homem lindo, charmoso, inteligente, te esperando, para te levar para jantar.
20:30 - Escolher vestido para jantar (30 min)
21:30 - Ceia romântica para dois, luz de velas, dança...
23:00 - Banho quente (sozinha).
00:00 - Fazer amor.
01:30 - Comer morangos e tomar champanhe.
02:00 - Dormir suavemente nos braços do namorado




UM DIA PERFEITO - VERSÃO MASCULINA

08:50 - Despertar com boquete caprichado
09:00 - Sexo selvagem.
09:15 - Ler a página de esportes do jornal durante uma boa cagada.
09:30 - Café da manhã com ovos, carne e queijo e, dependendo da ressaca, coca-cola.
10:00 - Futebol no clube.
12:00 - Almoço com os amigos regado de cerveja.
14:00 - Dormir a sombra de uma arvore, peidos para relaxar.
16:00 - Pescaria em barco com tripulação feminina, todas de topless.
16:30 - Sexo grupal no barco.
18:30 - Pizza e cerveja no bar com os amigos.
20:30 - Uma punheta pra relaxar, em seguida banho quente.
21:00 - Um conhaque em casa no sofá, peidos para relaxar.
22:00 - Jantar com a namorada.
23:30 - Deixar namorada em casa e ligar para aquela amiga gostosona da namorada que está a fim de você
01:00 - Sexo selvagem, com essa, direitos a tiros, tapas, chutes e pescoções...
02:00 - Dormir tranqüilo sem ter uma mulher aborrecendo

segunda-feira, 10 de março de 2008

King size Canario

capitao morrimento e tobby

capitao morrimento e hulk

Espanha/Atentado: Líderes políticos e populares convergem à câmara ardente de ex-vereador assassinado


Arrasate, Espanha, 08 Mar (Lusa) -

Representantes de todas as forças políticas bascas e nacionais e centenas de populares participaram hoje numa concentração, em silêncio, em frente à autarquia de Arrasate, em homenagem ao ex-vereador Isaías Carrasco, assassinado pela ETA na sexta-feira.

Mais de meio milhar de pessoas participaram na concentração que decorreu em frente ao edifício onde está instalada a câmara ardente com os restos mortais do ex-vereador socialista, morto a tiro à porta de casa por um homem que lhe disparou pelo menos cinco tiros à queima-roupa.

A mulher e uma das filhas de Isaías Carrasco encabeçaram a cerimónia onde participaram várias individualidades políticas entre as quais a vice-presidente do governo, María Teresa Fernández de la Vega e o chefe do governo basco, Juan José Ibarretxe.

Representantes de todas as forças políticas da esquerda à direita passaram alguns momentos na capela ardente, devendo ainda estar presentes no funeral que decorre às 17:00 de hoje, menos uma hora em Lisboa.

"Estou louco de dor", disse aos jornalistas, visivelmente afectado, um dos muitos populares que foi ao local durante a manhã de hoje.

"Espero que as pessoas sejam valentes amanhã e vão votar, sem medo", afirmou outro.

No interior repetiam-se as cenas de dor, com a família a ser saudada por centenas de pessoas, incluindo líderes políticos que viajaram de várias zonas de Espanha para as cerimónias fúnebres.

Investigações preliminares já permitem clarificar as circunstâncias do atentado de sexta-feira que levou à suspensão dos actos finais da campanha eleitoral e à aprovação de um comunicado conjunto de condenação de todas as forças com assento parlamentar.

Segundo a polícia o terrorista que assassinou Isaías Carrasco disparou cinco balas de calibre 09 milimetros, munição habitualmente usada pela ETA.

A forma como efectuou os disparos, levam a polícia a considerar que se trata de um "bom atirador" - com disparos certeiros, muito juntos e sem se dispersarem - que esperou a que Isaías Carrasco saísse de casa, na rua Navas de Tolosa e entrasse no carro.

Nesse momento disparou cinco tiros através do pára-brisas e a uma distância de cerca de um metro e meio. Uma das balas atingiu o ex-vereador na cabeça, outra no pescoço, duas no abdómen e uma num braço.

A vítima terá conseguido sair do carro arrastando-se alguns metros, estando ainda hoje visíveis as marcas de sangue na estrada.

As autoridades estão agora a procurar um homem de mais de 1,80 metros de altura - estimada pela trajectória dos disparos - que terá possivelmente entrado com um companheiro desde o País Basco francês, fugindo depois do assassinato.

Operações de busca continuam ainda em curso.

ASP.

Lusa/Fim

sexta-feira, 7 de março de 2008

Reverse Graffiti

graffiti?,

e se for Reverse Graffiti

trata-se de arte de limpar. a base é a mesma do graffiti, só que em vez de se sujar as paredes, limpam-se as paredes

pessoalmente parece-me bem.

vou deixar alguns exemplares para terem uma ideia:





quarta-feira, 5 de março de 2008

O TGV e a Ota

por António Brotas professor jubilado do IST

A sigla TGV tem induzido em erro a população portuguesa. A questão central do nosso problema ferroviário é mais a da bitola e das mercadorias do que, propriamente, a dos passageiros e da Alta Velocidade. Portugal precisa, sob pena de se transformar numa ilha ferroviária, de ter uma rede de bitola europeia (mais estreita do que a ibérica) convenientemente ligada à Espanha, em que algumas linhas deverão permitir o trânsito de comboios de alta velocidade e outras não. A ocasião para a começar a construir é agora. Esta rede terá de coexistir , durante talvez duas ou três décadas, com a actual rede de bitola ibérica mas, desde já, deve ser olhada como a nossa rede do futuro. Num futuro próximo, quando a Espanha mudar a bitola das suas principais linhas, é ela que permitirá o trânsito das nossas mercadorias para a Europa.

Assim, o debate sobre o TGV, ou seja, sobre a Alta Velocidade, é um debate pendurado do ar quando é ignorado o problema das mercadorias. Por um outro lado, as propostas de melhoria da rede actual que alguns propõem e, nalguns casos, se justificam, como, por exemplo, no caso da linha do Oeste, revelam uma grande cegueira quando apresentadas como alternativa ao TGV porque ignoram a nossa necessidade absoluta da rede de bitola europeia.

Desta dupla ignorância resulta que o debate ferroviário apresentado ao grande público tem sido duplamente falseado, o que está na origem de algumas propostas mais ou menos descabidas que vemos aparecer . Por exemplo, a de que a futura linha de Aveiro à fronteira não deverá ter uma estação na Guarda, mas em Vilar Formoso, e a de que, no Alentejo, o TGV (e não unicamente a bitola europeia) deverá chegar a Sines. Mas isto são problemas locais, que se resolverão por si na devida altura.

O grande problema, neste momento, é o das prioridades. Vamos dar prioridade a uma linha TGV de Lisboa ao Porto de bitola europeia, desligada da Espanha, que, provavelmente, não contribuirá em nada para a nossa economia, ou vamos dar prioridade às linhas de bitola europeia de Aveiro a Vilar Formoso e de Lisboa a Badajoz, esta de alta velocidade, que nos ligarão à Europa e que, internamente, se poderão conjugar com os acessos ferroviárias às Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto?

No caso de Lisboa, o problema concreto que teremos de resolver é o da travessia ferroviária do Tejo. Todos os outros problemas ferroviários do Sul do país dele dependem e ficam singularmente simplificados se o soubermos resolver bem. Parece-me ser, assim, esta travessia e a linha para Badajoz a nossa primeira prioridade. O interesse é simultaneamente nosso e dos espanhóis, o que deve facilitar os financiamentos.

Um outro problema em que a desinformação é grande o do NAL - Novo Aeroporto de Lisboa. Precisamos, sem dúvida, de um novo aeroporto para substituir ou para complementar o da Portela. Mas este novo aeroporto não é urgente e deve ser pensado para servir o Sul do país durante pelo menos mais um século. É portanto urgente pensar nele.

A Ota não serve porque é um espaço acanhado ladeado por elevações, que nunca permitirão a expansão de um futuro aeroporto. (Ver folha 30 D da Carta Geológica de Portugal). Há poucos dias, o Professor José Manuel Viegas, do IST, afirmou na televisão que se um aeroporto na Ota estiver construído em 2015 estará saturado em 2035. Alertei o Eng. António Guterres para este mesmo problema numa carta publicada no "Público", em 26 de Junho de 1999.

Se construirmos o aeroporto na Ota não poderemos, depois, construir nenhum outro, porque não haverá privados que aceitem entrar na construção do NAL sem terem assegurado o exclusivo dos novos aeroportos, pelo menos no Sul. O país poderá definhar, mas, para os proprietários do aeroporto, o que mais rende é um aeroporto saturado.

Um aeroporto na Ota significa, assim, abdicarmos das condições para termos no país um hub - um vértice da rede mundial de malha larga da aviação comercial -, o que exige um aeroporto com grandes possibilidades de expansão. Curiosamente, o industrial Henrique Neto, que defendeu vigorosamente no programa "Prós e Contra" da televisão o interesse deste hub, é um acérrimo partidário do aeroporto na Ota que o inviabiliza.

Na margem esquerda do Tejo há diversos locais em que podem ser construídos aeroportos com amplas possibilidades de expansão, mais baratos, com maior segurança aérea, melhores possibilidades de acesso e que podem ser construídos de um modo faseado. Quase só por masoquismo podemos insistir em construir o NAL num local da margem Norte que nos atrofia e com inúmeros inconvenientes e dificuldades. Se o fizermos, os espanhóis, surpreendidos, agradecerão, porque lhes oferecemos de mão beijada uma larga zona de influência para o seu Aeroporto de Badajoz, que terá, então, boas condições para se desenvolver.

O fenómeno brigantino

terça-feira, 4 de março de 2008

domingo, 2 de março de 2008

Universos Paralelos (documentario legendado pt-pt)

Nanotecnologia (introdução)

A nanotecnologia é a capacidade potencial de criar coisas a partir do mais pequeno, usando as técnicas e ferramentas que estam a ser desenvolvidas nos dias de hoje para colocar cada átomo e cada molécula no lugar desejado. Se conseguirmos este sistema de engenheria molecular, o resultado será uma nova revolução industrial. Além disso, teria também importantes consequências económicas, sociais, ambientais e militares.

Aquando Eric Drexler (direita) popularizou a palavra "nanotecnologia", nos anos 80, referia-se à construção de máquinas à escala molecular, de apenas uns nanómetros de tamanho: motores, braços de robô, inclusive computadores inteiros, muito mais pequenos do que uma célula. Drexler passou os seguintes dez anos a descrever e analisar esses incríveis aparelhos e a dar resposta às acusações de ficção científica. No entanto, a tecnologia convencional estáva a desenvolver a capacidade de criar estructuras simples à escala reduzida. Conforme a nanotecnología se converteu num conceito aceite, o significado da palavra mudou para abranger os tipos mais simples de tecnologia à escala nanométrica. A Iniciativa Nacional de Nanotecnologia dos Estados Unidos foi criada para financiar esse tipo de nanotecnologia: a sua definição inclui qualquer elemento inferior a 100 nanómetros com propriedades novas.

Fála-se com frequência da nanotecnologia como uma "tecnologia de objectivos gerais". Isso deve-se ao facto de que na súa fase madura terá um impacto significativo na maioria de industrias e áreas da sociedade. Melhorará os sistemas de contrucção e possibilitará a fabricação de productos mais duráveis, limpos, seguros e inteligentes, tanto para a casa, como para as comunicações, os transportes, a agricultura e a industria em geral.
Imagine-se dispositivos médicos com capacidade para circular na corrente sanguínea e detectar e reparar células cancerígenas antes de que se estendam.

Imagine-se o que seria "encolher" todo o conteúdo da Biblioteca Nacional num dispositivo do tamanho de um cubo de açúcar. Ou então desenvolver materiais dez vezes mais resistentes que o aço e com apenas uma fracção do peso. - U.S. National Science Foundation

Tal como já aconteceu com a electricidade ou os computadores, a nanotecnologia melhorará em grande medida quase todas as facetas da vida diária. Como tecnologia de objetivos gerais, porém, teria um uso duplo, ou seja, teria múltiplas aplicações comerciais e também militares : seria possível produzir, por exemplo, armas e aparelhos de vigilância muito mais potentes . A nanotecnologia representa, portanto, incríveis vantagens para a humanidade mas também graves riscos.

A base da nanotecnologia é o facto de que não só oferece produtos aperfeiçoados como também uma ampla variedade de melhores meios de produção. Um computador pode fazer cópias de ficheiros de dados; basicamente tantas cópias como quisermos a um custo muito reduzido ou mesmo inexistente. Pode ser apenas uma questão de tempo até que a fabricação de produtos se torne tão barata como a cópia de ficheiros. Aquí reside a verdadeira importância da nanotecnologia, por isso é vista às vezes como " a próxima revolução industrial ".


Conceito artístico duma nanofábrica portátil
Cortesia de John Burch, Lizard Fire Studios (3D Animation, Game Development).
Clique para ampliar




Seria possível condensar o poder da nanotecnologia num aparelho, na aparência simples, chamado nanofábrica, cheio de minúsculos processadores químicos, computadores e robôs e que poderia ir colocado no seu computador pessoal. Os produtos seriam fabricados directamente a partir dos projectos e, portanto, tratar-se-ia de um processo rápido, limpo e barato.

A nanotecnologia não só permitiria a fabricação de produtos de alta qualidade a um custo muito reduzido como também a criação de novas nanofábricas com o mesmo custo e velocidade. É mesmo por essa capacidade única de auto-reprodução (para além da biologia, evidentemente) pelo que a nanotecnologia se denomina " tecnologia exponencial ". Refere-se a um sistema de fabricação que, por sua vez, seria capaz de produzir mais sistemas de fabricação-fábricas que produzem outras fábricas- de maneira rápida, barata e limpa. Os meios de produção poder-se-iam reproduzir exponencialmente. Portanto, em apenas umas semanas, poderiamos passar de um reduzido número de nanofábricas para vários bilhões. Constitui, então, um tipo de tecnologia revolucionário, transformador, potente mas também com muitos riscos - ou vantagens - potenciais.

Quanto tempo demorará a ser uma realidade? Os analistas mais prudentes falam num período de 20 ou 30 anos a partir de agora, ou ainda mais tarde. No entanto, o CRN receia que possa acontecer muito antes, provávelmente durante a próxima década. Isto é devido ao rápido avanço das novas tecnologias como, por ejemplo, no campo da óptica, nanolitografía, mecânoquímica e criação de protótipos em 3D . Caso chegar tão rápido, talvez não estejamos prontos e poderia ter graves consequências.


Julgamos que não é cedo demais para começar a colocar uma série de questões e abordar os seguintes temas:
A quem pertencerá a tecnologia?
Estará altamente restringida, ou amplamente disponível?
Cómo afectará ao fosso entre ricos e pobres?
Cómo poderão ser controladas as armas perigosas e prevenir corridas armamentistas?



Muitas destas questões já foram colocadas há mais de uma década e ainda não receberam resposta. Caso não abordarmos essas questões de maneira deliberada, as respostas chegarão sozinhas e podem apanhar-nos de surpresa; e a surpresa provávelmente não seja agradável.

É difícil antecipar com certeza quanto tempo tardará esta tecnologia em madurar, em parte porque poderia acontecer que já estejam a ser desenvolvidos dende há anos programas industriais ou militares clandestinos sem o nosso conhecimento (especialmente em países que não têm sociedades abertas).

Não podemos garantir que a nanotecnologia não será desenvolvida plenamente nos próximos dez anos ou inclusive cinco anos. Embora poderia levar mais tempo, a prudência -e possívelmente a nossa sobrêvivencia - exige que pensemos no cenário mais antecipado e que, portanto, nos preparemos já.
Pesquisa personalizada