Número total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Herbalife

Herbalife
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Atenção: Este artigo possui passagens que não respeitam o Princípio da imparcialidade. Tenha cuidado ao ler as informações contidas nele. Existe alguma controvérsia quanto à forma de o tornar mais imparcial, e se sabe alguma coisa sobre o assunto deve evitar editar o artigo neste momento sem participar na conversa a decorrer na página de discussão.

A Herbalife é uma multinacional americana presente hoje em 64 países, que atua na indústria de nutrição humana, distribuindo seus produtos através de marketing multinível, onde cada elemento é um distribuidor independente. A empresa foi fundada em 1980 por Mark Hughes, o qual faleceu em 2000. Um de seus slogans é "Quer perder peso? Pergunte-me como".

Os principais líderes da Herbalife também são distribuidores, tal como o atual CEO, o executivo Michael O. Johnson, que atuou como presidente da Walt Disney Company por 17 anos.Índice [esconder]
1 História oficial
2 História extra-oficial
3 Controvérsias
4 Ligações externas


[editar]
História oficial

A empresa começou depois de uma tragédia pessoal de seu futuro fundador, nos seus 18 anos, quando viu sua mãe morrer por uma overdose de anfetaminas (remédios para emagrecer). Mark começou a pesquisar sobre formas de emagrecer sem que a saúde fosse prejudicada. Após participar de um simpósio sobre ervas chinesas, ele desenvolveu o seu primeiro produto, o pó nutricional, o qual começou a ser vendido em Fevereiro de 1980.

A empresa chegou ao Brasil em 1995, e atualmente conta com Eneida Bini (ex-executiva da Avon) como diretora-geral da filial no Brasil.

[editar]
História extra-oficial

A história oficial é em grande parte um mito criado por Mark Hughes como parte de seu discurso de vendas.

Sua mãe, Jo Ann Hughes, morreu em 1975 (quando Mark tinha 19 anos), por overdose de Darvon (propoxifeno, um analgésico opióide).

Em 1976, Mark começou a trabalhar vendendo Slender Now ("mais magro agora") dos Laboratórios Seyforth, uma empresa de marketing multi-nível. Quando a mesma fechou em 1979, ele passou a vender equipamento de ginástica e produtos para controle de peso para a Golden Youth, outra empresa de marketing direto. Quando esta outra empresa também fechou, ele decidiu abrir sua própria empresa para combinar a filosofia oriental de ervas medicinais com a filosofia ocidental de minerais e vitaminas.

Em fevereiro de 1980, em parceria com Richard Marconi (responsável pelo Slender Now), ele abriu a Herbalife, com grande sucesso.

Em março de 1985, o procurador-geral do estado da Califórnia acusou a empresa de fazer promessas falsas ou enganosas quanto aos produtos (em particular, quanto ao teor de cafeína, um estimulante), além de operar a empresa como um esquema de corrente (ou pirâmide). Em maio ele prestou depoimento a uma comissão de senadores. O caso estadual foi fechado após a empresa pagar US$850.000 e retirar dois produtos do mercado. A investigação federal não resultou em uma acusação.

[editar]
Controvérsias

Distribuidores independentes da Herbalife questionam a rentabilidade deste tipo de negócio, alegando serem incentivados a manter grandes estoques, mesmo quando não conseguem vendê-los, embora essa não seja uma obrigação contratual. Há depoimentos de que distribuidores independentes ganham até cem mil reais por mês. A maioria dos distribuidores independentes, no entanto, encontra-se incapaz de atingir suas metas de venda.

Além disso nutricionistas contestam a eficácia dos produtos de emagrecimento. No final de 2005, a associação Pro Teste testou seis marcas de produtos nutricionais, incluindo o da Herbalife, concluindo que o mesmo não satisfaz as necessidades nutricionais do organismo [1].

A empresa se defende lembrando que o produto é aprovado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e pelo Ministério da Saúde no Brasil e de outras 61 nações. A equipe medica e científica da Herbalife inclui um laureado com o prémio Nobel da Medicina, Prof. Louis Ignarro.

Critica-se também o sistema de distribuidores independentes por funcionar como um esquema de matriz (semelhante ao esquema de pirâmide, porém com a comercialização de produtos), pois há a necessidade de progressão geométrica no número de distribuidores subordinados para que o distribuidor do topo da pirâmide alcance faturamentos de centenas de milhares de dólares, modelo de negócios insustentável dada a natureza finita da população consumidora.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pesquisa personalizada