Número total de visualizações de página

terça-feira, 13 de maio de 2008

Oral Cancer in Men Associated With HPV

Oral Cancer in Men Associated With HPV

By NICHOLAS BAKALAR
Published: May 13, 2008

The sexually transmitted virus called HPV, for human papillomavirus, is well known to lead to cervical cancer in women — which is why the federal government recommends that all girls be vaccinated for HPV at 11 or 12, before they become sexually active.

Now researchers are finding that many oral cancers in men are also associated with the virus.

HPV can enter the mouth during oral sex. A study published in February by researchers at Johns Hopkins estimated that 38 percent of oral squamous-cell cancers are HPV related, and suggested that their increasing number might be a result of changing sexual behaviors.


O que é o HPV?

Vírus do papiloma humano

Classificação científica
Reino: Virus
Ordem: Caudovirales
Família: Papillomaviridae

O vírus do papiloma humano (VPH ou HPV, do inglês human papilomavirus) é um vírus que infecta os queratinócitos da pele ou mucosas, e possui mais de 200 variações diferentes. A maioria dos subtipos está associada a lesões benignas, tais como verrugas, mas certos tipos são frequentemente encontrados em determinadas neoplasias como o cancro do colo do útero, do qual se estima que sejam responsáveis por mais de 90% de todos os casos verificados.

A principal forma de transmissão do HPV é por via sexual, sendo a doença sexualmente transmissível (DST) mais frequente. Estima-se que 25 a 50% da população feminina mundial esteja infectada, e que 75% das mulheres contraiam a infecção durante algum período das suas vidas. A maioria das situações não apresenta sintomas clínicos, mas algumas desenvolverão alterações que podem evoluir para cancro. O exame de rastreio para diagnóstico destas alterações é a citologia cervical ou Papanicolau. A infecção também pode ocorrer no homem, embora as manifestações clínicas sejam menos frequentes do que na mulher.

As estratégias de prevenção são similares às das restantes DSTs, passando sobretudo por evitar comportamentos de risco. Recentemente foi lançada no mercado uma vacina que previne a infecção por alguns dos subtipos mais frequentes de HPV, encontrando-se em discussão a sua inclusão nos planos nacionais de vacinação de diversos países.

As opções de tratamento dependem do tipo e extensão das lesões causadas pelo HPV, podendo ser empregue um tratamento destrutivo ou excisional (destruição e/ou remoção das lesões), ou um tratamento à base de medicamentos imunomoduladores como interferão e imiquimod.

Sinais e sintomas

O tipo e gravidade dos sintomas dependem da variante (tipo) de HPV e do local de infecção. A principal destrinça feita entre as variantes do vírus distribui-os por duas categorias: os que infectam as superfícies cutâneas em geral, e os que infectam a região genital. Seja qual for a região afectada, na maior parte dos casos a infecção é assintomática e resolve-se espontaneamente sem deixar sequelas. Alguns tipos de vírus, contudo, e em especial os que afectam a área genital, podem causar alterações que vão desde lesões benignas a cancro.

-----
"Para saber mais clique no titulo da noticia!"

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pesquisa personalizada